INTRODUÇÃO

Em sentido geral damos o nome de Educação ao desenvolvimento de toda a natureza do Homem: física, intelectual e moral em interação com o seu meio e a sua circunstância, preparando-o para a sua realização pessoal, exercendo a sua função na sociedade como criador e inovador.

Os Gregos, quer os Atenienses quer os Espartanos, consideravam que o objetivo da Educação era preparar para os deveres da cidadania – militares, políticos e religiosos. Ginástica para o corpo, música para a alma, para produzir a harmonia do desenvolvimento.

Mais tarde, este conceito foi alargado para um processo literário diferenciado em Educação retórica ou oratória e em Educação filosófica.

O estudo elementar visava produzir a harmonia do corpo e da alma, base de toda a virtude, o secundário levava à unidade de pensamento e o superior à contemplação do Bem, união da verdade e da beleza.

O fim do Império Romano, o Monarquismo, a Escolástica, o Renascimento ditaram novos conceitos, novas teorizações e novas práticas educativas.

E como a criatividade e a inovação não param, aparece a tendência sociológica da Educação. Acentua-se que a Educação não é só o desenvolvimento do indivíduo, mas também o processo de o preparar para exercer a sua função no ambiente social. Entendendo-se que educar é desenvolver o indivíduo para se integrar na sociedade, para ser criador e inovador. Educar é desenvolver a própria sociedade.

O Colégio Didálvi, mais do que ensinar, preocupa-se em educar. Promovemos a educação integral dos alunos orientada por valores para que se sintam realizados e felizes.

A todos, o nosso reconhecimento e a nossa mensagem:

“O querer e o trabalho transformam o sonho em realidade”.

O Diretor
João Alvarenga Fernandes

De acordo com a legislação vigente, o Projeto Educativo é um documento onde está salvaguardada a identidade própria da Escola, orientando todas as atividades educativas em função das necessidades reais desta. Neste documento, são lançadas as linhas orientadoras do Colégio Didálvi e as estratégias mais adequadas para as cumprir, permitindo deste modo, que o seu funcionamento seja mais eficaz e ajustado às necessidades do meio e que simultaneamente proporcione uma formação séria e de qualidade aos alunos.

A elaboração do Projeto Educativo do Colégio Didálvi prende-se com a necessidade sentida de definir metas gerais e estratégias relacionadas com as componentes curriculares, culturais e educativas que conduzam ao bom funcionamento do Colégio na sua intervenção como meio envolvente.

Com este Projeto Educativo articulam o Regulamento Interno e o Plano Anual de Atividades.

 

1. HISTORIAL

O Colégio Didálvi foi fundado em 1984 para resolver a falta de escolas na região, pois não existia nenhuma escola do 3.º Ciclo ou Secundário em toda a zona norte do concelho de Barcelos. Existiam, apenas, três escolas na cidade.

A Região Norte do Concelho de Barcelos, em 1984, era uma zona profundamente carenciada.

• Vida rural fechada.

• Nível reduzido de escolaridade.

• Percentagem elevada de analfabetismo.

• Ausência de centros de cultura e desporto.

• Escolas mais próximas de 2.º e 3.º ciclos ficavam entre 10 e 20 km de distância.

• Escolas do 2.º, 3.º Ciclos e Secundário existentes no Concelho de Barcelos na data da fundação do Didálvi.

• Escolas do 2.º, 3.º Ciclos e Secundário criados após a fundação do Didálvi.

Um “filho da terra”, conhecedor da região e com ela comprometido, porque nela nasceu e nela também sofreu as carências e dificuldades tendo de sair para outras terras em busca de escolaridade, deu corpo a uma “ideia” e empenhou-se na sua transformação em projeto tendente à superação das carências verificadas.

João Alvarenga Fernandes elaborou um estudo da região e esboçou os princípios orientadores de um Projeto Educativo a que não seriam de forma alguma alheios os valores absorvidos na sua própria formação e a experiência já adquirida noutras terras como professor, Diretor e gestor escolar.

Surge, então, um Colégio com um Ideário próprio do qual dimana um Projeto Educativo e deste um Plano de Atividades onde o curricular e o complemento curricular se desenvolvem em unidade de processo educativo. Apresenta uma filosofia educativa assente em valores, considerando a pessoa humana na sua dimensão pessoal, social e religiosa e ao serviçoda Comunidade constituindo Comunidade Educativa.

Tendo o Ideário como referência traçaram-se as linhas de atuação, as estratégias e as atividades.

Em 1984 iniciaram-se as aulas no 5º, 6º, 7º, 8º e 9º anos, alargando-se nos anos seguintes até ao 12º ano.

O crescimento foi uma constante, estando em 2015/2016 com 1422 alunos.

O Colégio Didálvi recebeu e diplomou gratuitamente, milhares de alunos, durante 32 anos. Em 2016/2017, por decisão do governo, as famílias passaram a ter que pagar mensalidade para poderem frequentar o Colégio Didálvi.

 

2. CARATERIZAÇÃO DO MEIO

O Colégio situa-se na união de freguesias de Alvito S. Pedro, S. Martinho e Couto, no Concelho de Barcelos, com 5,71km² de área e 639 habitantes (censos de 2011), com uma densidade de 111,9 hab/km².

Alvito S. Pedro é delimitada pelas freguesias de Panque a Norte, Roriz a Sul, Alheira a Nascente, Couto e Alvito S. Martinho a Poente.

Possui como principal via de acesso a E. N. 306 que liga Barcelos - Freixo.

Situa-se numa fértil e soalheira planície do Vale de Tamel e apresenta uma rede viária local, razoável.

Como foi referido, Alvito é uma freguesia de Barcelos, concelho esteque pertence ao distrito de Braga, da sub-região do Cávado, com cerca de 20625 habitantes.

Trata-se de um município com 378,9km² de área e 120391 habitantes (censos de 2011), subdividido em 61 freguesias. O município é limitado a norte pelos municípios de Viana do Castelo e Ponte de Lima, a leste por Vila Verde e Braga, a sueste por Vila Nova de Famalicão, a sudoeste pela Póvoa do Varzim e a oeste por Esposende.

A maioria dos alunos do Colégio é residente no Concelho de Barcelos. Porém, nos últimos anos tem vindo a aumentar os alunos vindos de outros concelhos, cada vez mais distantes de Alvito S. Pedro, nomeadamente, Vila Verde, Amares, Braga, Ponte de Lima, Póvoa de Varzim, Esposende e Viana do Castelo.

Mapa de proveniência dos alunos

Ao longo dos anos, o Colégio cresceu em população escolar, dada a qualidade do seu serviço educativo, o que levou à expansão do complexo educativo e à construção de novos equipamentos escolares e desportivos.

Durante este tempo, passaram pelo Colégio Didálvi milhares de alunos, do 2º ciclo ao ensino secundário, tendo até 2015/2016frequentado o Colégio ao abrigo de Contrato de Associação.

Atendendo às alterações verificadas no que diz respeito ao financiamento e ao fim dos Contratos de Associação e consciente do património histórico-educacional, a partir do ano letivo de 2016-2017, o Colégio promoveu um amplo processo de inovação, em resultado do qual surge uma nova dinâmica de oferta educativa enquadrada por um Projeto Educativo integrado que passa já em 2018/2019 a englobar, também, o 1º Ciclo do Ensino Básico.

 

3. ENQUADRAMENTO LEGAL

Em1989,oDecreto de Leinº43/89de3 de fevereiro, quer e gula o exercício de autonomia das escolas, transcreve no seu preâmbulo que “a autonomia da escola concretiza-se na elaboração de um projeto educativo próprio, constituído e executado de forma participada, dentro de princípios de responsabilização dos vários intervenientes na vida escolar e de adequação a caraterísticas e recursos da escola e às solicitações e apoios da comunidade em que se insere”. Entende se por autonomia da escola a “capacidade de elaboração e realização de um projeto educativo em benefício dos alunos e com a participação de todos os intervenientes no processo educativo.”(Ponto1-Art.º2).O mesmo diploma refere ainda no número 2 do mesmo artigo que “o projeto educativo se traduz, designadamente, na formulação de prioridades de desenvolvimento pedagógico, em planos anuais de atividades educativas e na elaboração de regulamentos internos para os principais setores e serviços escolares”.

O Colégio Didálvi é uma escola de iniciativa particular, presidida pelo Dr. João Alvarenga, seu fundador. Criada em 22 de junho de 1984 é reconhecida pela autorização definitiva do Ministério da Educação nº 173 de 7 de julho de 1988.

Enquadra-se no Sistema Educativo Nacional, teve Contrato de Associação com o Ministério da Educação, desde 1984 até 2017, nos termos da Constituição da República Portuguesa, da Lei de Bases do Ensino Particular e Cooperativo (Lei nº 9/79 de 19-3), Lei da Liberdade de Ensino (Lei nº 65/79 de 4-10), Estatuto do Ensino Particular e Cooperativo (Dec. Lei nº 152/2013, de 4-11) Lei de Bases do Sistema Educativo (Lei nº 46/86 de 14-10) e no regime de gratuitidade de Escolaridade Obrigatória (Dec. Lei nº 35/90 de 25-1).

 

4. CARATERIZAÇÃODO COLÉGIO DIDÁLVI

4.1. Alunos

Neste momento frequentam o Colégio754alunos: 164 alunos no 2º ciclo, 369 alunos no 3º ciclo e 221 alunos no secundário.

De referir ainda que 120 alunos, do 5º ao 12º ano, frequentam atualmente o Ensino Artístico Especializado da Música, não financiado, dos quais 43 alunos em Regime Integrado e 77 alunos em Regime Livre.

 

4.2. Corpo Docente

O corpo docente do Colégio Didálvi prima pela estabilidade, o que permite a tranquilidade profissional para uma boa realização profissional e para a dedicação a um projeto de educação com o qual se identifica.

É constituído por 82professores, 18 dos quais lecionam no âmbito do Ensino Artístico Especializado da Música.

 

4.3. Pessoal não docente

Todo o corpo não docente faz parte do quadro de pessoal efetivo, o que conduz a uma relação afetiva com a instituição e com os alunos ao longo do currículo. O conhecimento continuado dos alunos no seu setor de trabalho ao longo dos ciclos permite uma melhor interação e um cuidado preventivo de situações conflituosas ou ações inesperadas que afetem de modo desvantajoso o conjunto dos alunos. O profissionalismo, próximo e familiar, com que interagem com os alunos, transforma-os, frequentemente, em referências modelares, construindo com os alunos relações de proximidade, amizade e respeito que se consolidam por décadas futuras.

Este corpo é constituído por 26funcionários.

 

4.4. Pais e Encarregados de Educação

O grupo de Pais e Encarregados de Educação resulta de antigos alunos, de profissionais de ramos diversos que se identificam com o Projeto Educativo do Colégio, de pais que buscam uma educação e formação complementar baseada nos princípios e valores, de famílias que pretendem uma garantia sólida de segurança escolar, de pais que cultivam e pretendem transmitir aos descendentes uma metodologia de trabalho assente no rigor e exigência, de pais que necessitam do acolhimento proporcionado pelos horários letivos e de complemento letivo pelo Colégio, de encarregados de educação que anteveem na qualidade da oferta educativa do Colégio uma garantia de fiabilidade e competência na preparação para o futuro.

Ao longo dos anos, tem-se verificado uma enorme participação dos Pais e Encarregados de Educação em reuniões trimestrais com o Diretor e com o Diretor de Turma, com uma adesão a rondar os 80%. Sempre que necessário, os Pais e Encarregados de Educação poderão ainda reunir com o respetivo Diretor de Turma e até mesmo com o Diretor do Colégio.

 

4.5. Instalações e Equipamento

As instalações do Colégio são constituídas por: Auditório, Balneários, Biblioteca, Cantina/Bar, Espaços de convívio ao ar livre, Gabinetes de Direção, Gabinete de Psicologia, Gabinete Médico, Gabinete Multimédia, Instalações Sanitárias, Laboratório de Biologia, Laboratório de Física, Laboratório de Química, Laboratório Microsoft/Robótica/Desenho 3D, Pavilhão de Desportos, Salas de Aula, Salas de Dança, Salas de Informática, Salas de Reuniões e Secretaria.

Uma grande parte das salas está dotada de um projetor multimédia ou plasma, possuindo também climatização. Existem equipamentos de reprodução e gravação áudio e vídeo bem como os instrumentos musicais indispensáveis à lecionação das matérias.

A Internet em banda larga de alta velocidade é também uma realidade, garantindo-se o seu acesso em todas as salas de aula e em todos os espaços escolares.

O Colégio está equipado com um sistema de videovigilância que visa aumentar a segurança de bens e de toda a comunidade educativa.

Além de tudo isto, os alunos têm também ao seu dispor a Quinta D’ Alvarenga, uma Quinta Pedagógica ao Serviço da Educação.

Quinta Pedagógica d' Alvarenga

Quinta Pedagógica ao Serviço da Educação

A Quinta Pedagógica d’Alvarenga é um espaço rural com moradia, situado em Alvito S. Pedro, Barcelos, propriedade do Diretor do Colégio Didálvi, herdado de seus pais e por este conservado como espaço educativo colocado ao serviço dos alunos.

O Colégio Didálvi, para além das aulas, proporciona aos seus alunos um vasto conjunto de atividades de complemento curricular. A educação integral e harmoniosa da juventude implica a criação de espaços e de atividades que respondam à pluralidade de interesses e opções dos alunos.

A escola tem que ser atrativa e apetecível.O Colégio Didálvi procura, de forma lúdica e agradável, despertar os jovens para os valores, cultivando virtudes e evitando os vícios.

A utilização da Quinta Pedagógica d’Alvarenga é uma preciosa ajuda neste projeto, possibilitando a realização de um conjunto de iniciativas que enriquecem e complementam as atividades curriculares.

Possibilitamos aos alunos conhecimentos,iniciativas, práticas e espaços que permitem potenciar as suas capacidades.

 

4.6. Organização Administrativa e Educativa do Colégio Didálvi

A Organização administrativa e educativa do Colégio Didálvi realiza-se através dos órgãos titulares, diretivos, de gestão escolar, administrativos e consultivos.

A entidade titular é responsável pela definição do Ideário, objetivos globais do Colégio, pela sua forma de gestão e organização, bem como pela nomeação da Direção Pedagógica e contratação dos recursos humanos, docentes e não docentes, necessários ao funcionamento do Colégio e serviços que lhe sejam afetos. É liderado por uma direção administrativa e representado pelo seu presidente - João Alvarenga Fernandes.

O órgão diretivo – Direção Pedagógica - é responsável pela execução dos objetivos definidos pela entidade titular e pelo funcionamento do Colégio. Tem como missão liderar e dinamizar toda a ação educativa. A Direção Pedagógica do Colégio Didálvi é constituída por:

• Um Diretor Pedagógico - João Alvarenga Fernandes.

• Uma responsável pela Direção Económica e Financeira - Paula Cristina G. Marques.

• Uma responsável pela Direção de Planeamento, Qualidade e Inovação - Ana Sofia Alvarenga.

• O órgão de gestão - Conselho de Gestão - constitui a estrutura de gestão, dos diversos níveis sendo responsável pela coordenação das tarefas pedagógicas e administrativas dos setores, departamentos, institutos, academias e clubes. O Conselho de Gestão é constituído por:

• Coordenador Curricular

• Coordenador Extracurricular

• Coordenador de Recursos Educativos.

• Os órgãos técnico-pedagógicos constituem a estrutura técnica, científica e pedagógica responsável pelo debate, proposta e aconselhamento da orientação educativa de acordo com a especificidade de cada um.

• Conselho Pedagógico

• Conselho de Turma

• Departamentos

4.7. Cursos e Regimes de Frequência

A oferta educativa do Colégio abrange os Cursos/Modalidades de Ensino a seguir apresentados.

• 1º Ciclo do Ensino Básico

• 2º Ciclo do Ensino Básico

• 3º Ciclo do Ensino Básico

• Turmas com Espanhol

• Turmas com Francês

• Secundário - Cursos Científico – Humanísticos

• Ciências e Tecnologias

• Ciências Socioeconómicas

• Línguas e Humanidades

• Artes Visuais

O Colégio Didálvi ministra o ensino vocacional damúsica, sem qualquer financiamento estatal, nos seguintes regimes:

• Curso Básico de Música em Regime Integrado

• Curso Livre de Música

O Colégio Didálvi apresenta já um vasto historial de valor no que diz respeito à Música.

Iniciou o Ensino da Música em Regime Articulado, em protocolo com o Conservatório de Música de Barcelos, no ano letivo 2008/2009, tendo terminado esta parceria no final do ano letivo 2016/2017. De referir que as aulas de Instrumento, Formação Musical e Classe de Conjunto sempre foram lecionadas nas instalações deste Colégio, usufruindo de todas as condições e instrumentos musicais desta instituição.

 

EVOLUÇÃO DA POPULAÇÃO ESCOLAR NO ENSINO ARTÍSTICO ESPECIALIZADO DA MÚSICA

 

ANO LETIVO

REGIME DE FREQUÊNCIA

2008/2009

2009/2010

2010/2011

2011/2012

2012/2013

2013/2014

2014/2015

2015/2016

2016/2017

2017/2018

INTEGRADO

---

---

---

---

---

---

47

71

53

43

LIVRE

---

---

---

---

---

20

---

41

87

77

ARTICULADO

29

56

100

112

158

144

85

40

24

---

 

No ano letivo 2013/2014 teve lugar o início do Ensino da Música em Regime Livre e, no ano letivo seguinte, o Regime Integrado. Nestes dois últimos anos letivos, atendendo ao decréscimo geral da população escolar no Colégio resultante dos cortes que aconteceram nas escolas com Contratos de Associação, também o número de alunos a frequentar o ensino vocacional decresceu.

ALUNOS INSCRITOS EM MÚSICA NO ANO LETIVO 2017/2018

 

INTEGRADO

LIVRE

 

INSTRUMENTO

1º grau

2º grau

3º grau

4º grau

5º grau

1º grau

2º grau

3º grau

4º grau

5º grau

6º grau

7º grau

8º grau

TOTAL

Piano

1

1

5

0

1

9

6

2

1

3

2

0

0

31

Violino

2

2

0

2

1

6

4

1

1

1

0

1

0

21

Guitarra

0

0

1

0

0

4

5

0

0

0

2

0

0

12

Saxofone

1

1

1

0

0

0

2

0

0

0

0

0

0

5

Clarinete

1

0

0

0

2

0

1

0

1

1

0

0

0

6

Flauta Transversal

0

0

2

0

0

1

1

0

0

0

0

0

0

4

Trompa

0

0

1

1

0

1

0

0

0

0

0

0

0

3

Trombone

0

1

0

0

0

0

2

0

1

0

0

0

0

4

Violoncelo

0

0

0

2

1

0

1

1

0

0

0

0

1

6

Viola de Arco

0

1

1

0

0

0

5

0

1

0

0

0

0

8

Oboé

0

2

0

0

0

1

0

1

0

0

0

0

0

4

Canto

0

2

0

0

0

0

0

0

0

0

0

0

0

2

Contrabaixo

0

1

2

0

0

0

0

0

1

0

0

0

0

4

Fagote

0

0

0

0

2

0

0

0

0

0

0

0

0

2

Trompete

0

0

2

0

0

0

2

0

2

2

0

0

0

8

                           

120

Atualmente, são lecionados os seguintes instrumentos: Canto, Clarinete, Contrabaixo, Fagote, Flauta Transversal, Guitarra, Oboé, Piano, Saxofone, Trombone, Trompa, Trompete, Viola de Arco, Violino e Violoncelo.

 

4.8. Atividades  Extracurriculares e de Complemento Curricular

O Colégio Didálvi promove a educação integral dos alunos orientada por valores para que se sintam realizados e felizes.

Para além das atividades curriculares e das atividades curriculares não disciplinares oferece aos seus alunos a possibilidade de frequentarem atividades extracurriculares, nomeadamente:

• Academia de Música Didálvi

• Academia Microsoft/Robótica/3D – Exames e certificação | Didálvi Microsoft Imagine Academy

• Instituto Didálvi English School – Diplomas de Cambridge

• Instituto de Espanhol - Centro de Exames DELE | Instituto de Cervantes

• Acrobática

• Ballet

• Danças Urbanas

• Didálvi AcroTeam

• Didálvi Dancers

• Esgrima

• Estudo Acompanhado/Prolongamento de Horário

• Futebol

• Golfe

• Hipismo – Escola de Arte Equestre

• Multiatividades de Ar Livre

• Patinagem Artística

• Patinagem do Didálvi

• Sala de Estudo – Estudo Interativo Digital | Plataforma Microsoft 365

• Ténis

• Trampolim

Apresentamos, a seguir, uma breve descrição de algumas destas atividades.

 

ORQUESTRA SINFÓNICA DIDÁLVI

O projeto Orquestra Sinfónica do Didálvi foi criado com o objetivo de oferecer aos alunos a possibilidade de integrar uma orquestra sinfónica sonoramente equilibrada, com um repertório mais exigente e variado, e de incentivar o estudo musical dos alunos da Academia de Música do Colégio Didálvi. A orquestra é composta por 60 alunos, escolhidos de entre os naipes de Cordas e Sopros e dirigida atualmente pelo maestro Hugo Pereira.

A Academia de Música tem visto o seu trabalho premiado através da prestação dos seus talentosos alunos nos vários concursos em que participam. A destacar, por exemplo, em 2013, o João Oliveira Carvalho ganhou o primeiro prémio no VII Concurso Nacional Paços Premium para Violino, Violoncelo e Piano, que se realizou na Academia de Música em Paços de Brandão. Conquistou, também, o 2º lugar, no nível até 11 anos, no 15º Concurso Internacional de Santa Cecília, no Porto. Em 2011, a Inês Carvalho ganhou o Concurso “Marília Rocha” para violino e piano no nível até onze anos, em Vila do Conde.

Com o mesmo propósito, existe também o Coro do Colégio Didálvi formado por cerca de 50 alunos dirigido pela professora Lioba Vergely.

 

INSTITUTO DIDÁLVI ENGLISH SCHOOL

O Didálvi English School teve início em 2012/2013 com 90 alunos. Nos últimos anos, o número de alunos duplicou.

O objetivo do Didálvi English School é consolidar e melhorar o Inglês curricular e dar aos alunos as capacidades essenciais para serem bem-sucedidos nos exames de Cambridge. Esses exames são reconhecidos pelas autoridades nacionais de educação, universidades e empregadores em muitos países atestando que os alunos que os possuem têm o nível exigido de Inglês e é, por esta razão, que mais de dois milhões de pessoas em todo o mundo os fazem todos os anos.

No ano letivo 2016/2017, os alunos do Colégio realizaram o Cambridge First Certificate in English, obtendo, todos eles, notas acima dos 85%. Congratulamos estes alunos por terem uma qualificação que prova que têm ferramentas linguísticas para viver e trabalhar de forma independente num país de língua inglesa ou estudar em cursos ministrados em inglês em qualquer parte do mundo.

 

INSTITUTO DE ESPANHOL | CENTRO DE EXAMES DELE

O idioma espanhol incorporou-se no Projeto Educativo do Colégio Didálvi há cinco anos e pelo seu acolhimento e bons resultados (internos e nos exames nacionais) decidiu-se implementar novos projetos à volta deste idioma.

Recentemente, o Colégio Didálvi foi reconhecido como “Centro de examen de los diplomas de español DELE” do Instituto Cervantes. Este ano letivo, o Colégio poderá atribuir, a quem deseje, uma acreditação oficial do Instituto Cervantes em nome do “Ministerio de Educación de España”, que certifique o grau de competência e domínio do idioma espanhol.

Além da realização dos exames oficiais (DELE) o Colégio Didálvi oferece a possibilidade de frequentar os cursos preparatórios dos nove níveis, já disponíveis no nosso centro (A1, A2, B1, B2, C1, C2 para público geral e A1, A2 e B1 para estudantes).

 

DIDÁLVI MICROSOFT IMAGINE ACADEMY

Os alunos que hoje preparamos são conhecidos por nascerem numa geração tecnológica. Apesar de sabermos que têm uma aptidão inata para as tecnologias, as escolas são convidadas a formar alunos em competências digitais que possibilitem o acesso dos mesmos a um mercado global. Neste sentido, o Colégio Didálvi dispõe de uma série de atividades que possibilitam a toda a comunidade educativa o acesso a ferramentas que estão muito vocacionadas para uma aprendizagem inovadora e atual, nomeadamente a Academia Microsoft, a plataforma Office 365 e a criação de uma Sala Microsoft e de um laboratório tecnológico com atividades de programação, robótica e desenho 3D.

O Colégio foi selecionado para ser uma Microsoft Showcase Schools, uma comunidade global de escolas envolvidas na transformação digital para melhorarem os resultados da aprendizagem. Há ainda professores no programa de professores inovadores, o programa Microsoft Innovative Educator Expert (MIEE) “criado para reconhecer os educadores visionários a nível mundial que utilizam a tecnologia para preparar o caminho para os seus pares no uso eficiente da tecnologia de forma a melhorarem os resultados dos alunos e da aprendizagem”.

 

ACADEMIA DE DANÇA

No Didálvi, a dança tem um lugar de grande destaque, pois é opção de muitos alunos para clube. Na Academia de Dança, os alunos podem optar por vários estilos: clássico, na Escola de Ballet ou moderno, no Didálvi Dancers e Danças Urbanas.

 

PATINAGEM ARTÍSTICA DO DIDÁLVI

Com cerca de 90 praticantes, a Escola de Patinagem Artística conta com cerca de 20 alunos federados e vários candidatos a seguirem as mesmas pisadas. Um clube que cresce em número de elementos e, essencialmente, em qualidade, participando em vários festivais e estágios.

 

CLUBE DE ESGRIMA

O Clube de Esgrima do Colégio Didálvi está inscrito na Federação Portuguesa de Esgrima e participou, durante o ano letivo 2016/2017, em provas Regionais, Nacionais e Internacionais, provas organizadas pela Federação Portuguesa de Esgrima. Desde novembro de 2008, ano da criação do Clube, que os esgrimistas do Colégio vêm arrecadando medalhas. Durante o ano letivo 2016/2017, os esgrimistas do Didálvi competiram em várias provas, algumas do circuito europeu (U-14 e Open 17) e conquistaram excelentes resultados.

 

DIDÁLVI ACROTEAM

A Didálvi AcroTeam surgiu como resposta à enorme evolução gímnica registada no Colégio Didálvi. Apoiada e alimentada pelo Clube de Ginástica Acrobática/Trampolim, a Didálvi AcroTeam reúne os melhores ginastas apurados a partir de uma seleção a que todos foram sujeitos, durante um período inicial. A AcroTeam foi criada com o objetivo de proporcionar um apoio no melhoramento da qualidade gímnica dos ginastas a partir de um incremento significativo na carga horária, bem como na metodologia de treino.

 

CLUBE DE XADREZ

O clube de Xadrez está integrado na disciplina de Educação Física e foi fundado com o principal propósito de promover as capacidades de concentração, estratégia e raciocínio dos alunos, promovendo o seu crescimento integral e harmonioso.

 

ESCOLA DE GOLFE

A Escola de Golfe do Colégio Didálvi congratula-se pelos consecutivos resultados alcançados ao longo dos seus 14 anos de existência, agradecendo o esforço e empenho de todos os seus atuais atletas e daqueles que já por aqui passaram.

A Escola de Golfe funciona nas lindíssimas instalações da Quinta Pedagógica D’Alvarenga.

 

CLUBE DE TÉNIS

O Clube de Ténis do Didálvi tem já seis anos de existência e conta com uma centena de inscrições. As aulas decorrem na Quinta Pedagógica D’Alvarenga, que possui cinco courts de ténis com excelentes condições para a prática deste desporto.

O ténis é uma das atividades físicas mais completas, pois exige muito esforço e dedicação do atleta. Este é um desporto que faz bem à saúde e à mente, melhora a flexibilidade e a agilidade e desenvolve nos jovens praticantes a capacidade de tomar decisões e de resolver situações difíceis.

 

ESCOLA DE ARTE EQUESTRE

O Colégio Didálvi prepara solidamente os seus alunos para a competitividade e para as exigências dos nossos dias. Procuramos que em termos académicos adquiram as ferramentas necessárias ao seu sucesso profissional. Porém, ao sucesso académico, pretendemos juntar o sucesso educativo. Procuramos proporcionar uma educação integrada e harmoniosa, despertando os jovens para os valores, cultivando virtudes e evitando os vícios, despertar as suas capacidades, estimular o autodomínio, o valor do trabalho e a glória de lutar por ideais.

A Escola Equestre, uma das componentes da Quinta Pedagógica, insere-se neste contexto escolar e pedagógico. A equitação, para além do valor desportivo, do conhecimento e contacto com a natureza, estimula valores e desenvolve qualidades, torna os alunos fisicamente mais ágeis, proporciona o exercício da atenção, estimula a ser paciente, a ser calmo e a ter tato e compreensão.

A Escola Equestre foi fundada no ano letivo de 1998/99 por iniciativa do Dr. João Alvarenga, Diretor e Fundador do Colégio Didálvi e proprietário da Quinta d’Alvarenga. Possui um picadeiro coberto e outro exterior, uma zona de treino para saltos e Horseball, uma cavalariça com 17 boxes, balneários e zona de ferragem e tratamento cobertas. Presentemente tem afetos à Escola Equestre nove cavalos.

No decorrer do ano letivo, o Colégio Didálvi desenvolve várias atividades que constam do Plano Anual de Atividades,tais como:

• Concurso “Desafios das Ciências”

• Audições Finais de 1º Período dos alunos da Academia de Música

• Festa de Natal com a participação da Academia de Música

• Natal Pedagógico - Programa de férias culturais e desportivas

• Reunião Final de 1º Período de Pais / Encarregados de Educação

• Concerto de Ano Novo da Academia de Música

• Concurso “Letras e Talentos”

• Concurso de Declamação

• Visitas de Estudo

• Participação nas Olímpíadas da Matemática

• Participação nas Olimpíadas da Astronomia

• Participação no Concurso Canguru Matemático

• Ciclo de Bandas de Música com a participação da Academia de Música

• Participação da Academia de Música na Apresentação do Livro “Via Crucis” em Gilmonde

• Meeting de Atletismo

• Audições Finais de 2º Período dos alunos da Academia de Música

• Celebração Pascal com a participação da Academia de Música

• Páscoa Académica - Programa de férias culturais e desportivas

• Celebração do Dia do Colégio com a participação da Academia de Música

• Festa das Flores:

• Pedipaper

• Lanche Biológico

• Didalvigímnica

• Espetáculo “Escola, Arte e Vida”com a participação da Academia de Música

• Concurso Musical “Estrelas do Didálvi” com a participação da Academia de Música

• Espetáculo “Didálvi, Arte e Vida” | Teatro Gil Vicentecom a participação da Academia de Música

• Didalvíadas:

• Percurso Cultural e Piquenique das Turmas

• Sessão Solene / Baile de Galacom a participação da Academia de Música

• Festa das Famílias

• Audições Finais de 3º Período dos alunos da Academia de Música

• Escola de Verão - Programa de férias culturais e desportivas

• Cursos de Aperfeiçoamento - Programa de férias culturais e desportivas

• Estágio Académico - Programa de receção aos novos alunos

 

4.9. Missão, visão e valores

 

1. ESCOLA AO SERVIÇO DOS ALUNOS

O Colégio Didálvi, constituído por escritura pública de 22/06/1984, tem como objetivos fundamentais os seguintes:

1.1 Promover a Educação Integral dos alunos, orientada por valores, de forma que se sintam realizados e felizes.

1.2. Ministrar a educação pré-escolar e a educação escolar, conforme for previsto no sistema educativo, respondendo, assim, a uma necessidade premente da zona em que está implantado.

1.3. Prestar serviços para a formação cultural, social e profissional do meio onde está inserido.

1.4. Promover o acompanhamento dos alunos, integrando-os no processo educativo e consciencializando os pais e encarregados de educação para o papel fundamental que desempenham no mesmo.

1.5. Dar resposta aos anseios de uma escola de orientação cristã no meio em que estes valores são altamente estimados.

1.6. Formar os seus alunos como homens autênticos na sua tríplice dimensão: pessoal, social e religiosa.

1.6.1. NO PLANO PESSOAL, o aluno deve ser educado num sentido autêntico de:

1.6.1.1. Responsabilidade em todas as suas ações;

1.6.1.2. Equilíbrio, maturidade, estabilidade mental e afetiva, capacidade para tomar decisões, consciência das próprias limitações e espírito crítico construtivo;

1.6.1.3. Constância e firmeza no trabalho sem se deixar deprimir pelos fracassos;

1.6.1.4. Compreensão da Comunidade em que se insere, seus objetivos, meios e realidades;

1.6.1.5. Capacidade de estima e admiração perante os mistérios da Criação e da existência humana;

1.6.1.6. Descobrir a importância do autodomínio, o valor do trabalho, a glória de lutar por ideais.

1.6.2. NO PLANO SOCIAL, o aluno deve ir aprendendo na escola:

1.6.2.1. A viver em solidariedade;

1.6.2.2. A ser um homem que se relaciona em atitude de serviço e amizade;

1.6.2.3. Integrar-se na sociedade. Participar no seu progresso;

1.6.2.4. Abertura ao futuro e colaboração efetiva no bem comum.

1.6.3. NO PLANO RELIGIOSO

1.6.3.1. Proporcionar aos alunos, a nível de vivência e de instrução, o sentido cristão da vida nos seus aspetos temporal e transcendental que oriente nas relações pessoais com Deus e com os outros;

1.6.3.2. Criar um comportamento marcado por testemunho de vida radicada numa autêntica formação humana na fé;

 

2. RELAÇÃO ENTRE O CENTRO EDUCATIVO E OS PROFESSORES

2.1. O professor identificar-se-á plenamente com os fins da própria comunidade educativa, quer no que respeita à adequação professor/aluno, quer no que toca à inserção na escola, quanto a técnicas pedagógicas, meio escolar e interdisciplinaridade;

2.2. O professor deverá:

2.2.1. Ser educador. Viver os valores que se pretendem transmitir aos alunos;

2.2.2. Atingir os objetivos propostos em cada disciplina;

2.2.3. Realizar todo o processo educativo segundo os princípios psicopedagógicos e político-educativos definidos;

2.2.4. Estabelecer e concretizar as estratégias mais convenientes ao processo educativo.

2.3. O centro educativo procurará manter com o professor um clima de permanente troca de opiniões e experiências, tendentes ao incremento das relações educativas e de atualização, quer relativas ao meio onde o centro educativo está inserido, quer referentes a um estudo comparativo de outras experiências e outros meios.

2.4. As relações devem ser particularmente cultivadas e aperfeiçoadas no âmbito da comunidade educativa, atenta à sua natureza formativa.

2.5. Os estímulos de ordem profissional e económica são aspetos que condicionam a qualidade das relações humanas. O caráter da nossa escola impõe que a retribuição profissional se faça à luz da justiça do estímulo e dignificação do trabalho.

 

3. A ESCOLA COMO COMUNIDADE EDUCATIVA

3.1. A Escola dará prioridade à estrutura comunitária, sem qualquer discriminação social e económica de grupos ou de pessoas;

3.2. Todos os que constituem a comunidade educativa, trabalhadores docentes e não docentes, pais e alunos participam, de acordo com a sua própria responsabilidade e competência, no direito e obrigação de colaborar na reflexão e realização dos objetivos pedagógicos específicos da escola;

3.3. Sem prejuízo da participação ativa de todos, será mantida uma liderança forte e um corpo docente estável.

Só com auxílio destes elementos, que direta ou indiretamente devem participar no processo educativo, se conseguirá levar o aluno a atingir a realização plena das suas potencialidades;

3.4. A escola deve procurar ser uma realidade virada para os seus alunos e para a sociedade em que está inserida;

3.5. A escola pautará a sua ação por critérios assumidos de disciplina, rigor e exigência;

3.6. Dada a responsabilidade que os pais têm na educação, reserva-se-lhes uma participação especial na vida da escola;

3.7. Dentro deste espírito de Comunidade participada, deve ser fomentada a participação de antigos alunos na vida da escola;

3.8. Embora a escola não deva inserir-se nos problemas surgidos no âmbito da família dos seus alunos, não poderá alhear-se deles consciente de que influenciam o normal desenvolvimento do educando.

Em consequência deverá a escola:

3.8.1. Incrementar a informação e a colaboração entre o aluno/escola e a escola/ família;

3.8.2. Estar atenta à opção dos pais quanto ao tipo de educação que desejam para os seus filhos, não perdendo de vista os princípios expressos no Ideário do fundador.

 

4.10. Parcerias

A multiplicidade de atividades desenvolvidas em contexto escolar envolve cada vez mais uma ampla e ativa articulação com entidades e forças vivas do meio envolvente, até na perspetiva de que a escola não pode constituir um espaço hermético e apenas virado para a sua realidade interna, preconizando-se antes que ela emirja e se afirme como um polo catalisador de experiências educativas partilhadas e um relevante fator de bem-estar e de progresso social no território onde se insere. Esta permanente interação com a comunidade educativa e com os diferentes agentes do desenvolvimento local reveste-se da maior importância para a construção de uma escola viva e atuante, atenta e recetiva aos desafios dos novos tempos e consubstancia-se no estabelecimento de parcerias e celebração de protocolos com várias entidades de referência.

O Colégio possui protocolos de cooperação celebrados com as mais variadas instituições, que pela sua importância representem uma mais valia para o intercâmbio de experiências pedagógicas:A saber:

• Protocolo com a Fundação da Caixa Agrícola do Noroeste;

• Protocolo com a Caixa Agrícola do Noroeste;

• Protocolo com a Universidade do Minho;

• Protocolo com APACI;

• Protocolo com IPVC;

• Protocolo com a Casa do Povo de Alvito;

• Protocolo com a Escola de Hotelaria e Turismo de Viana do Castelo;

• Associada à cooperativa agrícola de Barcelos;

• Integra a empresa Alvarenga e Pinheiro, Lda;

• Associada da AEEP;

• Associada à UNIENSINORTE.

 

5. PRINCÍPIOSORIENTADORES, FINALIDADES, OBJETIVOS EESTRATÉGIAS

5.1. Princípios Orientadores

O Projeto Educativo pretende ser um instrumento privilegiado para alcançar uma maior autonomia, contribuindo para uma participação mais ativa da comunidade educativa. Deverá, deste modo, ser dinâmico e funcional, impondo uma necessidade de avaliação periódica, de acordo com as mudanças que se vão operando, fruto de novas realidades.

Pretendemos ser capazes de promover a excelência e reforçar a equidade baseada nos seguintes aspetos:

1 - Liderança atenta à qualidade de ensino e às necessidades de todos;

2 - Clarividência num ensino que apoie efetivamente todos os alunos;

3 - Confiança em relação à capacidade de êxito de todos;

4 - Ambiente de colaboração favorável à aprendizagem e ao ensino;

5 - Manutenção de um clima de segurança;

6 - Atuações comuns que guiem e avaliem o progresso educativo.

 

5.2. Finalidades

Este Projeto Educativo tem como finalidade promover a formação académica, pessoal e social dos nossos alunos, orientando a aprendizagem no sentido da harmonia entre o saber, o saber fazer e o saber ser.

Para cumprir esta finalidade, acentuam-se neste Projeto Educativo as seguintes vertentes a desenvolver:

1 - a dimensão humanizadora do trabalho e do estudo;

2 - o caráter criativo e construtivo do saber;

3 - a promoção do diálogo entre os diferentes saberes e culturas;

4 - a comunicação permanente entre os vários agentes educativos;

5 - a participação dos jovens no desenvolvimento de ações/na tomada de decisões que contribuam para um ambiente saudável e sustentável;

6 - a formação de cidadãos responsáveis e intervenientes na sociedade;

7 - o desenvolvimento de uma cultura de partilha de boas práticas e de trabalho colaborativo;

8 - sensibilizar para a música;

9 - proporcionar, aos alunos que o desejem, uma sólida formação musical, preparando-os para o seguimento de estudos musicais.

 

5.3. Objetivos

Como qualquer escola, temos como principal objetivo o sucesso dos nossosalunos.

Tendo em vista o objetivo máximo da excelência académica, este projeto almeja:

1 - cumprir os objetivos da Reforma do Sistema Educativo, assim como os estipulados nos documentos que, a nível nacional orientam o processo ensino-aprendizagem, nomeadamente, os Currículos, os Programas e Metas das disciplinas;

2 - orientar e ajudar os docentes na organização dos seus programas de ação educativa, promovendo a partilha e a cooperação;

3 - analisar e monitorizar o processo ensino-aprendizagem para poder atuar, no sentido de contribuir para um desempenho excecional;

4 - mobilizar os saberes dos alunos para incentivar a uma participação ativa no processo ensino-aprendizagem;

5 - fomentar nos alunos a curiosidade intelectual e procurar despertar o interesse por uma aprendizagem constante e permanente, explorando as suas motivações e interesses;

6 - promover a definição e estruturação de hábitos e métodos de trabalho;

7 - proporcionar a melhor preparação dos alunos, com vista ao acesso e sucesso no ensino superior nacional e internacional;

8 - desenvolver a formação integral dos alunos, proporcionando o desenvolvimento harmonioso e progressivo de todas as dimensões do ser humano;

9 - motivar para valores como a solidariedade e o respeito, suscitando a consciência das responsabilidades pessoais e interpessoais;

10 - criar um ambiente educativo familiar e estável, gerador de um sentimento de pertença que reforce a motivação de todos;

11 - estabelecer e favorecer a ligação escola-meio-vida;

12 - garantir e apoiar a formação contínua a docentes e não docentes;

13 - melhorar a qualidade dos serviços e dos espaços;

14 – criar condições que permitam que um aluno, se o entender, preencha as aptidões técnicas necessárias ao ingresso num Curso Secundário de Música e, futuramente, numa Universidade ou Escola Superiorde Música.

 

5.4. Estratégias

Para cumprimento da função educativa do Projeto Educativo do Colégio Didálvi, que se pretende de excelência, num processo sempre em construção e adaptado às necessidades, define-se o seguinte plano estratégico:

1 - Reforço da carga letiva;

2 - Planos de apoio individualizado e acompanhamento do percurso individual;

3 - Aulas de preparação para exame;

4 - Estudo acompanhado;

5 - Orientação pedagógica na definição de objetivos individuais e estratégias de trabalho para alcançá-los;

6 - Uso de técnicas e instrumentos utilizados para informar o processo de avaliação das aprendizagens nomeadamente: fichas formativas; fichas de avaliação diagnóstica; fichas de avaliação quantitativas; testes únicos ao nível de escola; chamadas escritas e orais; contactos com os diretores de turma;

7 - Premiar a excelência e o mérito através da criação de quadros de mérito e excelência;

8 - A diversificação dos instrumentos de avaliação propicia, ao professor, a emissão de diferentes e múltiplos “dizeres avaliativos” e permite, ao aluno, o desenvolvimento de um processo de autoavaliação regulada;

9 - Análise dos resultados da avaliação interna e externa das aprendizagens dos alunos nas reuniões de Conselhos de Turma, nas Reuniões de Departamento Curriculares e na Assessoria Pedagógica;

10 - Análise dos resultados dos testes únicos a nível de escola e a adequação de estratégias face aos resultados obtidos;

11 - Contactos entre os Encarregados de Educação e os Diretores de Turma;

12 - Reuniões com Pais / Encarregados de Educação ao longo de cada período letivo;

13 - Estabilidade do corpo docente;

14 - Atividades diversificadas de caráter científico e social inseridas no Plano Anual de Atividades;

15 - Certificação de línguas;

16 - Acompanhamento e avaliação do Projeto Educativo;

17 - Manutenção, atualização e aquisição de recursos materiais, mediante o estudo prévio das necessidades;

18 –Promover uma constante prática musical que transporte o aluno e o Colégio para o exterior, numa atitude de cooperação e partilha com os restantes elementos da comunidade em que está inserida.

 

6. DISPOSIÇÕES FINAIS

6.1. Divulgação do Projeto

Foi aprovado pela Direção da Instituição;

É divulgado aos Pais e Alunos;

Está disponível e acessível a toda a Comunidade;

É enviado ao Ministério e divulgado a várias instituições.

 

6.2. Avaliação do Projeto

O presente documento, que constitui o Projeto Educativo do Colégio Didálvi, foi avaliado em reunião de Conselho Pedagógico, na qual participam todos os representantes da Comunidade Educativa e depois submetido à aprovação da Direção da Instituição.

Ao longo da sua execução será objeto de avaliação contínua.

Elaborámos um Projeto Educativo norteador de uma ação educativa que pretendemos que seja maleável, capaz de infletir de direção sempre que o feedback de uma avaliação permanente assim o determine.

 

6.2.1. Avaliação Interna

1 – Ao nível de disciplina: professores, alunos e departamentos.

2 – Ao nível de turma: Conselho de Turma.

3 – Ao nível de escola: Conselho Geral de Professores, Conselho Pedagógico e Direção.

 

6.2.2. Avaliação Externa

1 – Programa AVES.

2 – Avaliação – Confederação Nacional de Educação e Formação.

 

6.2.3. Relatório de Avaliação Anual

Pela sua extensão (cerca de 900 páginas) este é consultável em www.didalvi.pt

 

6.3. Considerações Finais

A Música e a Dança sempre assumiram e continuarão a assumir um papel primordial na formação dos nossos alunos. A Educação Artística é componente essencial do currículo do Colégio, está presente na maioria das atividades e carateriza a Educação Integral que promovemos nos nossos alunos. É sabido que o Colégio Didálvi se situa geograficamente numa zona carenciada, com pouca oferta certificada nestas áreas. Assim sendo, no que diz respeito à Dança, temos como ambição certificar, neste Colégio, o seu ensino. No que se refere à Música, pretendemos, com a abertura do primeiro ciclo já em 2018/2019, proceder à Iniciação da Música e alargar a sua certificação ao Ensino Secundário, dando assim resposta aos anseios dos alunos que adquirem no Colégio a certificação do 5º grau.

Educar é acompanhar, apoiar e estimular o desenvolvimento dos alunos ao nível físico, intelectual e moral, em interação com o meio e a respetiva circunstância, preparando-os para a sua realização pessoal, para o exercício da sua função na sociedade como criadores e inovadores.

O nosso lema é“o querer e o trabalho transformam o sonho em realidade”.

Pretendemos o desenvolvimento integral da pessoa humana. Uma escola com horizonte referencial, com liderança e com estabilidade.

Uma escola que estimule o crescimento dos seus alunos, a estruturação da sua personalidade e a assunção de valores.

Privilegiamos a pedagogia ativa, a pluridimensionalidade, a interação comunitária e o método experimental verificável no contacto com a natureza.

O curricular, o curricular não disciplinar e o complemento curricular desenvolvem-se em unidade de processo educativo.

Assumimos o lúdico e a festa como motivação para o sucesso.

 

ÍNDICE

INTRODUÇÃO

1. HISTORIAL

2.  CARATERIZAÇÃO DO MEIO

3. ENQUADRAMENTO LEGAL

4. CARATERIZAÇÃO DO COLÉGIO DIDÁLVI

4.1. Alunos

4.2. Corpo Docente

4.3. Pessoal não docente

4.4. Pais e Encarregados de Educação

4.5. Instalações e Equipamento

4.6. Organização Administrativa e Educativa do Colégio Didálvi

4.7. Cursos e Regimes de Frequência

4.8. Atividades Extracurriculares e de Complemento Curricular

4.9. Missão, visão e valores

4.10. Parcerias

5 – PRINCÍPIOS ORIENTADORES, FINALIDADES, OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS

5.1 – Princípios Orientadores

5.2 – Finalidades

5.3 – Objetivos

5.4 – Estratégias

6 – DISPOSIÇÕES FINAIS

6.1 – Divulgação do Projeto

6.2 – Avaliação do Projeto

6.2.1 – Avaliação Interna

6.2.2 – Avaliação Externa

6.2.3 – Relatório de Avaliação Anual

6.3 – Considerações Finais